top of page
  • Foto do escritorghackmann

SONETO DA DECEPÇÃO

Tu não existes, que pena.

Centenas de pensamentos

Ardendo e me deixando triste

Fiz-te em um grande lamento.


Tão pura aquela tua vida,

Colorida de sonhos e encantos.

Mas, no entanto, te vi vestida

E confundida com esses jovens tantos.


A graça que pensei existir

Vi sumir no esvaziar de taças

E na pirraça de teu sorrir.


E, perdido e confuso, recuei.

Recusei destruir meu amor-escondido

E tão bonito que eu tanto amei!

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

OUTONO

Anseio pelo eterno momento Em que você possa se trair E no seu terno falar e sorrir Ceder aos meus sinceros atrevimentos. Como este dia se adia! E fico voando numa dúvida doce E nem sei como faria se

SONETO DA PLENITUDE

Se te discernia entre tantas Quantas moças apreciasse, Colocando-me em impasses assaltantes, Era antes um livrar-me de disfarces. Se a razão a ti se apegava E ficava revirado meu inconsciente, Em cres

NOBRE LAMENTO DE UM CANTO INÚTIL

Caminho à loucura. Sim, só pode ser. Esta doida amargura Persiste, insiste, vive. E como em mim é livre, Há tanto, tanto tempo, Um nobre lamento De um dia que não tive, Da palavra que não disse E do s

Comments


bottom of page